Direitos Reservados

MyFreeCopyright.com Registered & Protected

29 de jul de 2013

Medo De Não Conseguir Ser.


É um medo escondido, sem rumo, deserto e sem sentido. Por não 

conseguir ser, por medo de deixar acontecer, por medo de morrer 

dentro das nossas vontades.

Untitled   Eu contei todas as minhas listas e li meus velhos escritos, joguei 

fora todos os meus enganos e decidi ficar assim. Eu descobri em 

mim a felicidade que nunca encontrei e que ainda assim procurava 

ansiosamente, mas com medo de achar. Eu vi que a saída e a luz no 

fim do túnel está mais próxima  dos meus olhos do que dos meus 

pés e que eu sou a pergunta e a resposta incerta, todos os sentidos  

os caminhos não disponibilizados.

Eu me ajoelhei diante dos meus pecados, orei para não me perdoar e abençoei o êxito de minhas conquistas. Meus pecados, minha culpa, meus erros e meu medo de não conseguir mais ser quem um dia eu tanto desejava, sem saber quem realmente queria, mas esperando me encontrar no meio de mim mesma. Eu não estava com medo de tropeçar no meio do trajeto e não estava com medo de morrer antes de chegar naquele fim que já poderia ter chegado, mas pra mim, lá não era aonde eu queria estar, pois eu era, eu conseguia tudo o que queria, mesmo sem saber o que nasci buscando e sem saber se um dia eu realmente iria conseguir ser. 
.

8 de jul de 2013

De todas as coisas que viram saudade.

Eu resolvi escrever esse post em prol de dizer sobre todas as coisas que viram saudade, mesmo sem querer virar. Apesar de tempo afastada do blog por estar perto da conclusão do meu curso de administração, e pela mudança de emprego, algumas crises, coisa e tal... Eu nunca me esqueci do blog e nem da sensação de conforto e abrigo em expressar tudo o que sinto em poucas linhas, e é por isso que estou aqui, depois de superar minuciosamente todas as barreiras de uma fase da minha vida, depois de pensar carinhosamente no que escrever e em como tudo isso seria aceito, depois de selecionar bem cada minuto em que me dedicaria novamente ao que mais amo fazer, escrever.
    Boa Leitura!
bolhas.

De todas as coisas que viram saudade...

  Eu recuperei um Ipod velho, liguei o USB no meu notebook e recuperei velhas lembranças, velhos sentimentos, velhos ruídos que há tempos não perturbavam minha cabeça. Era tanta cosa junta que eu mal conseguis escrever para expressar, mas sabia que de todas as coisas, parte delas era saudade.
   A saudade nem sempre pode ser interpretada como vontade de sentir tudo aquilo outra vez, as vezes a saudade pode significar que no meio de uma grande tempestade, você sinta saudade daquela sensação de não se deixar morrer no meio de todo aquele desespero. E a vontade de sentir os pulmões se encherem novamente de ar quando se volta à superfície depois de sentir-se afogar. A saudade é aquilo que a sua memória fotografa e embora seja uma imagem ruim, ela sempre estará ali, inerte dento da sua mente e reaparece quando se sente falta de algo para pensar.

   Parece confuso, ou meio perturbador demais para se conseguir entender, mas tudo, tudo vira saudade um dia, vira história, vira memória; E quer saber, ainda bem que o tempo nos permite a saudade que regenera e reestrutura a nossa mente, que fortifica os músculos e deixa a mente em paz. Ainda bem que quando tudo vira saudade bate aquele alívio de ter sobrevivido, a felicidade de ter feito a escolha certa e a certeza de novas saudades.
Cry | via Tumblr

9 de mai de 2013

...Things...

  Por alguns motivos eu resolvi pegar um espaço particular para falar sobre algumas coisas.
 Eu amo o que eu faço, amo o meu blog, não é de fato um trabalho, muito menos um meio de transporte para a fama, é um refúgio que eu tenho pra expressar tudo o que eu sinto. Com o tempo descobri que não escrevo só pra mim, mas também para algumas poucas pessoas que consideram meu "trabalho"especial. Cá entre nós, pra mim não faz diferença se escrevo para 6 ou 6 mil pessoas, escrevo para quem partilha do mesmo pensamento que eu ou que, pelo menos possa fazer algum bom uso da minha linha de raciocínio. Eu tenho imenso carinho pelas pessoas que leem e mandam o retorno de suas expectativas pela fan page ou meu facebook pessoal, isso tudo pra mim é deveras gratificante e me faz muito bem. Porém não é de hoje que tenho sentido esse meu espaço um pouco desfocado e tenho notado que a futilidade tem tomado grande parte da mente das pessoas, e meus textos têm passado desapercebidos. Também não é de hoje que expresso minha vontade de "congelar" ou "aposentar" o Nós & Alguns Pecados, primeiro pela minha falta de tempo, já que eu amo o que estudo e pra quem me conhece sabe que a minha vida está tomando novos rumos, o que impede doar mais do meu tempo ao blog e outra também porque acho que meus textos estão ficando antiquados e démodé... (Só acho).
   Por isso estou reafirmando essa minha vontade de parar de escrever, eu fui até onde conseguia tentando sempre postar aqui textos medianamente bons o suficiente para meus leitores, mas não me sinto pessoalmente realizada, não sinto que consegui atingir meu objetivo. Confesso que por alguns anos venho tentando escrever um livro e também é um projeto no qual eu não tenho conseguido organizar minha vida para esvaziar minha mente e me dedicar a este sonho. Infelizmente eu não tenho conseguido encontrar tempo para as coisas que me fazem tão bem...
 Espero que este post não seja visto como uma lamúria, é mais um desabafo. Isso não tem data prevista e também não se trata de uma confirmação.
 Por enquanto é só.
 =*
red heart.. | Pickcute

29 de abr de 2013

Palavras de Antes de Morrer

Large Eu selecionei alguns textos que poderiam ser lidos no dia da minha morte, na frente dos meus entes queridos. Palavras que possivelmente confortariam, mas não seriam propriamente minhas ou pra mim. Eu separei algumas frases que eu gostaria que fossem usadas na minha lápide, só pra enfeitar, sem algum efeito sobre alguém. A gente nunca espera que a morte chegue, até que um dia ela te surpreende, até que um dia suas palavras calam-se para sempre e então nada mais nos resta, apenas lembranças.
   Na maioria das vezes a gente nem percebe que quantas coisas são ditas antes de morrermos e quantas palavras são desperdiçadas, quantas frases vazias são jogadas ao vento e muitas vezes ferem alvos que sequer estavam na mira.
  Ninguém sabe ao certo o que acontece com o nosso silêncio quando morremos, ou pra onde vão as palavras que já foram ditas. Ninguém sabe o que acontece com o silêncio ou se alguém já conseguiu interpretar o silêncio e entender que somos muito mais do que palavras. A gente se perde tanto em desculpas e motivos, criando problemas e procurando soluções. A gente passa por cima de tanta coisa e atropela momentos, não procura demonstrações, não sabe ao certo o que quer.
  Será que realmente precisamos até das palavras na hora da morte pra consolar que ficou aqui? O que fazemos para mostrar que não há uma palavra no mundo capaz de traduzir o que passa dentro de um sentimentos e que mostramos o mesmo a quem queremos bem? Será que somos tão egoístas que até a nossa morte tem que ser sentida por uma publicação num mural e uma frase mal pensada? Porque é tão fácil dizer tanta coisa, porque é tão simples ofender, dizer, gritar ou simplesmente não dizer o que você achava certo por medo da resposta e depois, manda um livro em forma de SMS por medo de colocar a cara a tapa, por medo de tentar...
    Até o dia do fim,  o dia em que a morte vai nos calar para sempre, vai silenciar e levar junto com ela todas aquelas coisas que não fomos humanos o suficiente para dizer, para expressar e pior que isso é saber que quem ficou por aqui, só vai descobrir o que você realmente sentia por ela, através de uma carta, uma frase, um texto qualquer.
  Eu separei algumas palavras para serem ditas no dia da minha morte, não é nada exclusivo, mas é real: "Daqui só levo o amor que cultivei dentro do peito, das pessoas que eu amo, não quero lágrimas. Lembre-se do que eu fiz e não do que eu disse.".

24 de abr de 2013

Dúvidas de Tempo


 A gente vai crescendo e vem surgindo as “dúvidas de tempo”. Fico impressionada como podemos nos surpreender com quão velocidade nossos pensamentos mudam, as opiniões divergem e a mágoa passa. A gente se mutila tanto por problemas tão vazios sem se preocupar com o que realmente interessa, como o autoconhecimento.
Large   Eu me admiro por assim dizer, me considerar sobrevivente, fui afetada pelo mal da humanidade. Deixei que um  vírus dominasse minha mente e controlasse meus sentidos. Deixei que o erro dos outros me causasse dor, deixei de dormir para pensar em soluções, deixei de amar por medo, deixei de sonhar por medo da queda, deixei de viver por não querer saber como realmente se vive. Eu fui comida viva por parasitas insanos que por tempos insistiram em me maltratar, quase me tornei fraca, não era mais eu e minha opinião, tudo era choro e mágoa.
       Eu me culpei por tanta coisa que nem cabia a mim saber  e como sofri pela dor de outros. Eu não conseguia perdoar ninguém, por simplesmente não saber perdoar e não livrava minha alma de pecados que eu cometia em sonhos. As dúvidas de tempo não apagam todos os pensamentos que já passaram pela minha memória e nem garante que nenhum deles possam não voltar, elas amenizam a dor, fazem um curativo em sangues ainda não coagulados e oferecem um pouco de conforto a  pensamentos cansados e problemas sem resolução. Eu sobrevivi a todos os monstros e vermes que viviam dentro de mim e se alimentavam do meu medo e das minhas incertezas. Eu sobrevivi quando mudei meu caminho e os meus valores, pois parte do que me mantinha era feita de dúvidas e a outra parte era curada pelo tempo.
Large

11 de abr de 2013

Eu descobri que te amava


856c8a7bb7d8cb0e677c2083ec0acef2_large
Eu entendi que o amava não no dia em que ele disse que me amava ou quando nos beijamos pela primeira vez. Não foi na primeira vez que acordei e vi seu rosto e seu sorriso, não quando senti a segurança do seu abraço...
Eu descobri que o amava quando você disse que sua maior felicidade era ver a minha felicidade, mesmo que não fosse com você.
Eu descobri que te amava, quando você disse que o mundo não seria o mesmo se eu não existisse e pediu para que eu lutasse pela minha vida da mesma forma como você lutou por mim.
Eu descobri que te amava, quando pensei em você assim que abri os olhos e em todas as noites que não dormi pensando em você. 
Eu descobri que te amava quando me senti tão cheia e completa que quase não sentia meu peso. Quando todas as árvores deixaram suas folhas cair para que pudesse nascer novas folhas e com outras cores. Assim que eu percebi que havia deixado de dizer EU para começar a dizer NÓS. 
  Quando eu me permiti deixar de fazer sentido e me perdi, me encontrando em você e na vida que eu queria levar com você...
   Eu não descobri que te amava quando me dei conta de que você era o príncipe encantado que eu nunca quis encontrar, eu descobri que te amava quando beijei o sapo que eu queria transformar.
Tumblr_mk5ddontam1s88e39o1_500_large

2 de abr de 2013

Peito Pra Quem Gosta


 63077_174669006018543_754148421_n_large
Bem, dizem que é feio falar “peitos”, preferem seios, acham que é a mesma coisa. Há quem diga que não, há quem nem saiba a diferença. Mas aqui paro e penso. Mulheres machistas que reclamam que os homens só olham os peitos antes de olhar seus olhos e mulheres feministas que dizem que muitos homens não reconhecem que sem meter os peitos no problema, nunca encontrariam uma solução.
    Eu, por toda a minha vivência acredito que sim, que se nunca metermos os peitos nunca saberemos se a vida vai ou não mudar e se as coisas podem ser de outra forma. Viver de conformismo dá trombose, atrofia as pernas, a alma e o coração. Peito pra quem tem peito de encarar tudo com o pensamento positivo e um copo meio cheio de Coca-Cola. Peito pra quem abre sua opinião praquilo que é bom e que vale a pena ser ouvido. Peito pra quem cultiva borboletas dentro de si, pra quem quer espalhar para o mundo a sua coragem em forma de peito. Seios pra quem não sabe mais o que é ter, pra quem teve peito de perder o peito, pra quem fez do peito a superação.
   Pra quem gosta de peito, observe e aprenda, saiba a usar todo o peito a seu favor, sem exibicionismo, sem capitalismo, sem naturalismo, com pudor. Saiba fazer do peito-pátria a sua fortaleza, sua estrutura de moral. Porque peito é pra quem assume ter peito, pra quem gosta da razão. Porque tem que ter muito peito pra dizer de quem se ama e se vai ou não lutar por ela, seja por peitos iguais ou peitos distintos. É ter classe de subir ao mundo e declamar todo um amor que requer peito-pulmão pra se expressar, pra sobreviver. E é muito mais do que isso, é um peito que nos falta, que não há procura, que morrem grudadas na pele só pra amamentar, pra sugar, pra  ligar a vida. Não é só esse peito, e sim todos, e sim todas e de quem um dia toma coragem e bate no peito.

163394_522679177776511_1616762289_n_large

16 de mar de 2013

Sem culpa e sem calcinha.


539431_10200565896529412_657137464_n_large
   Hoje a gente pode. Tá tudo mudado e diferente. Somos mulheres livres que sabem o que querem e na hora que bem entenderem. Somos todas impossíveis aos sonhos de um desejo fixado no corpo. Ah, foi-se o tempo em que perdíamos tanto tempo com medo e pudor presos ao elástico de uma calcinha. Foi-se o tempo que sensualidade era sinônimo de vulgaridade. Hoje, jamais! Somos todas lindas e sem culpa, colocando a toda prova essa vontade e sexualidade que mora no peito de cada mulher.
    Hoje mulher pode sim lutar pelo homem que ela acredita, jogar uma cantada, convidar para jantar. Nós podemos sim, expressar a vontade de um sexo sem compromisso, a visita até o apartamento com término de café da manhã. Podemos dizer o que pensamos e entrar e sair de uma sex shop ao meio dia. Não há o porque de esconder o vibrador debaixo da cama numa caixa de sapatos velha e cheia de poeira. Não há mais precisão de não comentar o que sente vontade de fazer ou de onde ir. Não há mais porque não compartilhar com as amigas suas aventuras e experimentos. E porque não trocar experiência com o mundo todo?
    Sem culpa por ser tão bela, tão livre e tão moderna. Sem calcinha pra quem questiona, nem preconceitos com as vontades e curiosidades. Porque nós não somos obrigadas a ouvir piadas machistas de caras que saem com mulheres que não se dão o devido valor, e que para chamar atenção precisam de uma mini saia, uma coreografia vulgar e metade dos peitos a mostra. Nós não somos um pedaço de carne ou um objetos. Temos sonhos, desejos, vontades e acima de tudo lutamos e guerrilhamos todos os dias para encontrar cada vez mais nosso espaço e fazer valer o nosso pensamento.
       Nós mulheres não precisamos assumir culpas por pessoas babacas e nem expor nossos problemas para alguém admirar nossa luta. E mesmo se precisássemos ainda assim, continuaríamos colocando nossos saltos, assumindo nossa postura, nos livrando de nossas culpas, libertando nossas calcinhas de toda opressão e exibindo pra quem quisesse ver uma força descomunal de pura sensualidade que toda mulher tem e sabe fazer.
Dbadc36d6201f6cbbb40be92ee8a2888_large

  

8 de mar de 2013

Parabéns – 08 de Março


486859_544631708904549_1131439680_n_large
Parabéns à você que disse que nunca mais sofreria por amor. Parabéns por todas as lágrimas que chorou e por tantas outras que você teve que segurar. Parabéns por passar mais tempo se maquiando para as pessoas repararem no seu rosto e não darem atenção a sua alma que estava despedaçada por dentro. Parabéns por estar morrendo de cólica e mesmo assim saiu de casa com um salto 13 pra não perder a elegância.
417461_347491108695359_707255807_n_largeParabéns pela coragem que você não tinha, mas conquistou na hora em que ela foi necessária. Parabéns por suportar dez dedos de dilatação e mesmo assim se sentir a mulher mais completa e realizada do mundo por trazer uma nova vida vinda de você. Parabéns por dizer todas as vezes que iria passar, que tudo ficaria bem e que se mostrou sem medo quando na verdade estava apavorada por dentro. Parabéns pela habilidade de dirigir e passar gloss, por ter classe na hora de se atrasar para um encontro , pelas cara e bocas que finge que não está fazendo quando percebe que alguém está te olhando, pelos: “tô gorda e feia” para ouvir um elogio depois, por aquela risada maligna que você dá por dentro quando ele assume que tá errado e que morre de medo de te perder.
   Lindas, parabéns, por todas as vezes que passou a noite em claro com o rosto inchado de chorar e na hora de se levantar colocou no rosto seu sorriso mais lindo. Parabéns por suportar a dor de um tapa, de uma humilhação, de uma mágoa. Parabéns por ter o dom da fofoca, do: “eu te avisei” com jeito de quem sabe mais, do: “ele não presta, não é do seu nível”, do: “foi a melhor transa da minha vida” e principalmente pelos: “eu te amo” que muitas vezes morrem engasgados na garganta quando você finge que não se importa.
 Tumblr_mfvv7urieg1s08lieo1_500_large

28 de fev de 2013

O que combina e o que completa.


Tumblr_mijyx07slj1rqy6sqo1_1280_large
Nem sempre é fácil ou possível encontrar alguém que nos satisfaça nos dois requisitos. Pois provavelmente o cara que irá te completar não é o mesmo que combina com você. Tente aceitar, somos indivíduos e isso claramente significa que temos vontades e personalidades individuais.
    Muitas pessoas criticam e acusam o amor dizendo que ele machuca e faz sofrer. Discordo, o amor é tão curável ou assassino como uma dose de veneno, é função nossa que saibamos usá-lo com moderação. O amor não tem culpa que somos ignorantes o suficiente a ponto de não sabermos diferenciar uma pessoa que nos combina e outra que nos completa. O amor não é o culpado por nossas escolhas erradas!
    Uma coisa é fato: O ser ideal para você e que completará todas as suas frases, que adivinhará  seus pensamentos, provavelmente é o seu oposto, não por completo, mas por partes, naquela parte que você jura que jamais encontrará alguém louco o suficiente para suportar o seu maior defeito, e vice-versa.  Não somos perfeitos, e acredite, se você encontrar alguém que seja extremamente perfeito, há 90% de chance de você atirá-lo pela janela nos 15 minutos seguintes. As pessoas nunca são como esperamos que sejam, na maioria das vezes elas nos surpreendem, em contraponto, nos decepcionam, em todos os casos pelos menos por 10 segundos nos fizeram felizes e no fim das contas é isso o que realmente importa. 
544390_463978440339274_465384208_n_large    Canso de minha parte dizer que a felicidade fica no jardim e não nas nuvens. Lembre-se, os jardins podemos cuidar e zelar com todo o amor e carinho que ele merece e em troca ele nos dará flores, perfume e beleza, já as nuvens podem ter belas formas e dar a impressão de leveza e paz, mas estão no alto, não podemos tocá-las e só elas mesmas sabem a tempestade que carregam dentro de si. É como diz uma frase que eu gosto muito: “Se complete e depois procure alguém que te transborde”. E que não seja necessariamente com um líquido da cor do seu, mas com um mais bonito e intenso.  

24 de fev de 2013

Aqui.


A gente se perde em tanta coisa, e no final das contas se esquece que devemos nos perder dentro de nós mesmos para poder entender o que falta, o que completa e o que não nos faze feliz.
   A gente erra e pedir perdão é tão de menos quando podemos consertar tudo admitindo que somos humanos. A gente tenta tanto e tanto colocar o amor naquele olimpo que todo mundo coloca, mas na verdade o amor dói, ele machuca tanto que, quem passa por sua dor se torna indestrutível a qualquer outro tipo de dor. O amor machuca e é um regime tão rigoroso viver de amor, mas ele alimenta, ensina, engrandece.
   A gente se perde naquilo que é pequeno, uma possa d’água é um oceano tão profundo e tantas palavras viram um festival de socos sem mira certa. E depois de ditas que é os estragos são vistos, o reparo tenta ser feito, a dor lateja e as lágrimas caem.
    A gente não se entende em tanta coisa, em tanta frase, em tanto detalhe, a gente não se ocupa em sentir falta mas em lutar, como se a nossa vida toda fosse uma grande guerra, um nome ou um legado. A gente, sem a gente, não existe nós. Sem amarras e sem se lembrar o que nos uniu. Tanta coisa que a gente pisou em cima durante o caminho e durante todas as coisas que fizemos questão de perder. Amor, é capaz de voltar o tempo? De voltar atrás? De nos dar uma nova chance? A gente não repara em nós mesmos, no que ainda existe e nos liga, nos aprofunda um dentro do outro, surdos, calados, cegos pelo o que optamos perder ao invés do que procuramos guardar.575008_433951636689685_412469866_n_large

13 de fev de 2013

Meu amor.



529640_440738695998154_1664094833_n_large   Aqui vai uma declaração pessoal, meio diferente de tudo que já fiz no blog.  Sabe quando você encontra a pessoa certa e quer contar isso para o mundo todo saber? Acho que chegou a minha vez.  Minha vez de parar tudo e olhar as coisas com mais calma, hora de se preocupar menos com problemas insignificantes e passar a curtir cada sorriso. A vida me deu uma nova chance de começar tudo de novo e fazer tudo o que eu sempre quis e achei que não conseguiria fazer. Talvez ela não tenha me dado de presente só alguém que está sendo perfeito pra mim, mas também está me mostrando que além de ser impossível sobreviver só, também é impossível alguém acertar ou errar todo o tempo e que, não há felicidade ou tristeza eterna, o que fica de verdade são os momentos.
    Não me apaixonei por olhos, nem por físico, nem por palavras bonitas. Ele não me trouxe flores, ou eu que não quis as receber, ele me levou pra sair e jogou a real que estava sem grana, ele sentiu medo de me beijar e pegou na minha mão tremendo.  Ele sabia de cor todos os meus defeitos ao invés de fingir o tempo todo que tudo estava bem e que eu era perfeita o tempo todo. Ele soube amar mais as linhas de estria e minhas saliências de celulite do que o meu rosto maquiado.
        Sabe, eu queria poder de alguma forma materializar tudo o que eu sinto por ele e tudo o que ele me causa, expressar todos os sentimentos que nasceram dentro de mim e outros que ressurgiram. Então me dei conta de que não sei mais viver sem ele, não imagino um futuro sem ele e nenhuma escolha da qual ele não faça parte. Passei a dar mais valor aos dias em que acordo ao lado dele do que aos dias de sol e passei a rir mais das piadas dele do que das coisas ridículas que circulam por ai.  Percebi que estava errando na minha vida quando passei a reclamar demais e a não aceitar tudo o que acontecia, sem me dar conta de que ele  fazia parte da minha vida, ele era a minha vida. Eu erro, também magoo, eu me perco no meio de todas as minhas dúvidas e as vezes machuco o meu amor.
     Apesar de todas as dificuldades e medos, eu descobri nele uma outra forma de amar, de respirar e de sentir a vida. Eu encontrei motivos para me manter firme e blindada contra todo o mal do mundo. Eu descobri no meu amor que, um simples abraço é o suficiente para que eu sinta que o mundo cabe dentro de mim e do que sentimos um pelo outro. Ele me completa, ele me incentiva, o meu maio motivador é o meu amor. Ele erra, ele briga, as vezes exagera, mas sabe a hora de se calar e me beijar. Ele me aceita, concorda e está disposto a passar o resto dos dias dele ao meu lado.
    Eu, particularmente não acredito que exista alma gêmea, mas tenho fé que duas pessoas possam se amar aqui e em outras vidas, como nós. O que eu sinto pelo meu amor são todos os melhores sentimentos que Deus possa ter colocado dentro das pessoas. Eu não sei mais existir sem você, Lourenço.


3 de fev de 2013

Os intermináveis começos...


A gente para e começa e para, recomeça. Sente medo. Pensa em desistir, tenta mais um pouco que é pra ter certeza, ou uma dúvida, se é um começo, se é um recomeço, se é um espaço entre o medo de tentar e o medo de falhar.
     Daí a gente percebe que são intermináveis começos que atravessamos ao longo da vida, de intermináveis histórias, de incontáveis motivos... De tantas coisas que foram começadas, que precisaram ser começadas e de tantos recomeços para quem mereceu receber uma segunda chance ou pra quem determinou ter uma segunda chance.
     O que pouco sabemos ou até mesmo muitos desconhecem é que, nós somos o começo que Deus acredita todos os dias, que nós determinamos o que deve ser novo e o que deve chegar ao fim. O corpo fala, o espírito implora. Somos altamente influenciáveis e cabe somente a nós, decidir o que são começos e aonde devem chegar os fins. Porque as situações nos impulsionam a tomar atitudes e tomar providências, buscar resultados e atingir objetivos. Os nossos  intermináveis começos, a gente nunca sabe se é um começo, um recomeço ou um fim. Se é um impulso, uma necessidade, um abismo entre o encontro e a expectativa. E assim vai, entre dias, começos e intermináveis situações....
60017_526597620692938_594789354_n_large

25 de jan de 2013

...E que as más línguas chupem seu próprio veneno.


255024_252020114926000_112499475_n_largeDesejo uma dose de veneno mortal na bebida de quem perde tempo demais sendo outras vidas ao invés de ser sua própria vida. Eu gostaria de poder entender qual o prazer estimulante algumas pessoas sentem em se alojarem no âmbito de adrenalina de outras pessoas para sugarem ardentemente suas vidas, conquistas e derrotas. Eu queria uma simples pesquisa científica que comprovasse que benefício uma pessoa acarreta vivendo de fofocas, mentiras, intrigas e boatos. Somos gatinhos?
    E que essas línguas não cheguem perto de mim para sentir o gosto do sal da minha pele, pois já de longe imaginam e especulam que eu seja meio sem sal... Que de longe espalham que eu sou salgada demais... Nem eu me conheço mais...
    E que essas línguas possam um dia dobrar-se para prova do sabor de sua própria língua para tirar alguma conclusão sobre si próprio. São capazes?
Que se mordam, se espremam e engulam seu veneno como não se deve engolir espermas. São densos, pode matar engasgado. Será que morrem?
  E que essas línguas beijem outras  falsas línguas para provarem o gosto da discórdia, da mentira, do plano invejoso arquitetado delicadamente sem fundamento algum. Se dão bem?
 E que todas essas cobrinhas engulam seus rabos, como uma cobra faz quando se sente ameaçada, colocando em sua goela seu próprio rabo, até virar um infinito, e não morrer, mas se afogar em si mesmo, para sentir a ira de sua própria maldade. Parar de cuidar da vida alheia e lavar uma louça?
Pois é minha gente, sempre vai ter um ou outro que vai se deliciar em sua vida. Mas  se preocupar com este pra que? Ratos vivem de restos, vivem no lixo, são pestes, são pragas. Não fazem bem. Quem são?
338675_260231707438174_27154688_o_large

21 de jan de 2013

Desabafo.


   É engraçado como as mágoas não podem ser reciprocas, e no final não chegamos a lugar algum. A gente só se lembra daquele copo que era único e vai fazer falta, quando não tem mais jeito e ele está todo espatifado no chão.  
   E olha a gente aqui, jogando na loteria, e embora sabendo que acertamos todos os números e que ganharemos o prêmio, estamos ateando fogo no bilhete... Sabe por quê? Porque é mais fácil morrer lutando numa guerra, do que jogar tudo pro alto e admitir um erro e pedir desculpas, mesmo sabendo que se redimir ou aceitar que está errado não é mais um erro e sim uma prova de que estamos crescendo. É mais cômodo morrer sofrendo por aquele amor que gostaria de ter vivido, mas não viveu  e culpa todo o resto do mundo por isso, do que ir atrás e morrer com a cara quebrada e inchada de tanto chorar, mas sabendo que ao menos tentou .
   Não é culpa de ninguém, a nossa natureza é assim, reclamamos de acordar cedo na segunda feira para ir trabalhar, mas somos incapazes de agradecer o emprego que tem. Porque é assim, normal, um pequeno problema é tão grande perto de tudo que pode nos fazer feliz, a gente não admite falhas, nem que errou, prefere virar a cara pro mundo do que colocar as coisas em ordem.

19 de jan de 2013

Ele faz e acontece.


Ele não é o seu amigo, não é o seu amor, mas é o seu maior defeito, aquele que te faz tremer de dentro pra fora, que te enlouquece. Ele não vai te ligar no dia seguinte e nem querer saber como foi o seu dia, não é educado, não pede com licença para entrar, mas te faz sorrir e perder a noção do tempo. Ele faz e acontece, é ele, não tem jeito, só ele mexe.
    Não é o mais bonito, mas tem as melhores curvas e contrações que você já viu nas sombras da noite. Ele não te leva pra casa, mas deixa você conhecer a casa dele se quiser. Ele sabe como fazer, é  dele que você precisa. Ele não se importa se você fez manifestações de amor ou satisfação, seu corpo já disse e ele sabe. Não é seu amigo, muito menos o seu amor, é um alguém, mas é o cara. Ele pode até se esquecer do seu nome, mas sabe muito bem aonde te tocar. Suas mãos e língua e sussurros criam vida própria, e ai aparece a magia, porque ninguém vai superá-lo. Ele mexe, mexe, mexe, sabe como fazer. Agora ele passa ser seu amor e quem não quer uma preciosidade dessas em casa? Então esquece todo o futuro, se concentra no agora, lembrou de como foi? Sentiu aquele arrepio, as pernas se juntaram sem querer? Mordeu o lábio? Então mexe, porque ele sabe, ele vem, faz e acontece.
Tumblr_mgl5a7kxc11ro2ulro1_500_large

13 de jan de 2013

Pirulitos de sapos com sabor de decepção.



460_tid_pic-18_large
Não se preocupe, depois conversamos, acertamos tudo. Ficaremos bem.
Depois que toda essa culpa passar, tirarei o gosto amargo da decepção da minha boca e quem sabe chupar um pirulito de sapo com sabor de desgosto ou continuar sentindo o amargo da decepção.
    Vou colocar dentro de mim, a mistura de minhas lágrimas com a minha saliva, um pouco de tristeza com a saudade de não te ver mais. Fiquei sabendo que você está melhor que eu, aceita um docinho? Aceita uma lembrança? Me aceita de volta?
    Te mando com um embrulho cor-de-estômago, para que você não se esqueça da sensação que me causa e daquele frio macio que desce a minha espinha quando eu te olho. Mando entregar na sua casa, com um pouco de amor, com cheiro de corpo junto, na ponta dos meus dedos. Aceita amor? Aceita deixar a minha dor ir embora? Aceita os meus defeitos e os moldes das minhas qualidades que antes fora desenhado ao seu gosto.
    Não me dê um pirulito de sapo para engolir, é dor demais aqui presa na garganta, é muito sabor junto. Tem tudo. Tem os sapos que engoli, os gostos que senti, os beijos que te dei, o amargo da perda, o doce do amor, tem mais que tudo, e agora nada me resta, na mão um pirulito de sapo com gosto de decepção, com coisas não ditas no recheio e cobertura de tristeza.
    

7 de jan de 2013

Dê certo. Dê Amor.


Tumblr_mg2w2mazxu1rg11juo1_500_large
E que um dia possamos dar certo e que um dia todas as discussões não passem de memórias e que aquelas promessas de amor sejam expostas à mesa. Que um dia nosso amor dê certo, que ele se abra e nos encontre, e nos abrace e nos apadrinhe e não nos abandone jamais. Eu desejo que os nossos sonhos e planos, e medos e incertezas e enganos propostas deem certo, para que possamos ter certeza de que vale a pena continuar. De verdade, eu torço para que as coisas possam dar certo para nós. E que depois dê amor, e que vire amor, distribua amor, mostre à todos, o amor. E que possamos dar amor, pois demos certo, pois fizemos dar certo, pois acreditamos que era certo. Que dê certo, que depois dê amor. Que saibamos cuidar do amor para aninharmos em nosso peito e que ele possa crescer orgulhosos dos pais e que espalhe aos quatro ventos que soubemos cuidar do amor e que agora, já maduro possamos dar amor.
Tumblr_l7pam5gfkf1qcvn3qo1_500_large    Tomara que o amor nos dê tudo o que ele tem, que ele puxe as nossas orelhas quando se sentir inseguro ou com medo. Já demos certo, podemos ter amor, cuidar de um amor, aprender a amar, a dar amor. Que dê certo e que dê amor, que dê reflexos nos espelhos dos nossos olhos, que dê esperanças em outros peitos em outras vidas, então pegaremos o nosso amor e distribuiremos em sementes a outras pessoas, para que elas, assim que der certo, possam plantar e lá na frente dar amor.
   Deus, que dê certo que dê amor, que dê a sorte do que é bom, que possamos levar, o mais difícil já passou. Deu certo! Agora é amor!
Tumblr_l8txd4j7rd1qbiwm2o1_500_large

4 de jan de 2013

A beira do Mar, a beira do desconhecido.


Tumblr_mg0yohgbeh1rks7exo2_500_largeEu parei na praia, ali no começo da areia aos pés de Iemanjá. Queria agradecer, mas não sabia o que realmente queria agradecer, eu não sabia por onde começar a agradecer. Então me virei para o mar, olhei as ondas e o infinito que tem atrás do arrebentar da maré. Vendo todo aquele mar escuro, frio e agitado, eu sabia o que queria agradecer. Era a chance do ir e vir das ondas da minha vida. A oportunidade de deixar uma maré violenta chegar e colocar toda a minha vida de cabeça para baixo. Eu agradeci a calmaria do beijo entre a água e a areia e a forma delicada da aproximação quando eles se encontram. Eu agradeci a água gelada que vinha para me acordar por inteira e as violentas  ondas que me afogavam, mostrando que, era preciso colocar a cabeça para fora e respirar com toda a força se eu quisesse sobreviver e lutar.
   Eu ali, para olhando, sabia que não era em vão, que na verdade não tinha um motivo concreto para agradecer, o que existia na verdade era um “obrigado” por sempre termos motivos para continuar, para recomeçar, para colocar um fim naquilo que faz mal e trilhar um novo caminho. E entendi, que na vida não temos tempo para parar e agradecer, pois tudo é desconhecido e as forças vêm de dentro de nós,  da alma, de motivos. Não importava, Iemanjá sabia que eu não precisava mencionar palavra alguma para demonstrar gratidão, estar ali, com fé já era um bom agradecimento. Ela sabia, eu sabia, o meu mar desconhecido, eu fazia todos os dias e um dia quando eu atravessasse todo aquele oceano, eu poria enfim todo o meu agradecimento por tudo, pessoalmente. Ainda há tempo, eu tô só na beira do mar... 
2b6e038452e911e2a52022000a1f9e5e_7_large